Este site utiliza cookies para diferenciá-lo dos demais usuários. O uso de cookies nos ajuda a prestar um serviço específico, facilitar o uso do site, entender nossos visitantes e exibir anúncios. Ao continuar navegando pelo site, você concorda com o nosso uso de cookies. Saiba mais em nossa declaração de privacidade.

.com
O padrão global on-line

O que significa .com?

Obtenha conhecimentos sobre a história e a intenção original do .com

O que significa .com

O .com foi introduzido como um dos primeiros domínios de primeiro nível (TLDs), quando o sistema de nomes de domínio foi implementado pela primeira vez para uso na Internet, em janeiro de 1985. Criado originalmente para representar a intenção “comercial” de um website, o .com sempre esteve no epicentro da revolução digital, que foi adaptada à maneira como as pessoas trabalham, vivem, brincam e se conectam com a família e os amigos.

História detalhada do .com

John Postel, editor de RFC (<I>Request for Comments</I>, na sigla em inglês) em 1994.

Jon Postel em 1994, com um mapa feito à mão dos domínios de primeiro nível da Internet. Foto de Irene Fertik, USC News Service. ©1994, USC.

O primeiro .com foi reivindicado em 15 de março de 1985 por uma fábrica de computadores chamada Symbolics, Inc. Antes disso, a Internet era um grande projeto conduzido por universidades e cientistas da computação que usavam a rede para pesquisas e comunicação. À medida que mais pessoas e instituições começavam a usar a rede, as comunicações eletrônicas se tornavam um desafio crescente. Descobrir como encaminhar mensagens manualmente por meio de gateways era algo como uma obra de arte e, quando o volume de correspondências se tornava muito pesado, as pessoas às vezes tinham que parar de usar suas conexões.

A necessidade de algum tipo de princípios de organização tornou-se cada vez mais evidente à medida que mais entidades se conectavam à incipiente Internet. A missão de levar a ordem ao universo cada vez mais caótico ficou a cargo do lendário Jon Postel e de seus colegas do Instituto de Ciências da Informação da Universidade do Sul da Califórnia.

Postel tornou-se editor de RFC (Request for Comments, na sigla em inglês) em 1969. Como editor de RFC, Postel e seus colegas moldaram a Internet pessoalmente como a conhecemos hoje. Em outubro de 1984, foi publicada a RFC 920 "sobre as exigências de estabelecer um novo domínio na ARPA-Internet e na comunidade de pesquisa DARPA", preparando o terreno para o nascimento do .com.

Embora saibamos que o primeiro .com tenha sido atribuído ao symbolics.com em 15 de março de 1985, a origem do .com não é tão clara. De acordo com Craig Partridge, cientista-chefe da Raytheon BBN Technologies, os nomes dos domínios evoluíram à medida que o sistema era criado. A princípio, o .cor havia sido sugerido como domínio das corporações, mas, quando a versão final surgiu, foi alterado para .com.

Jack Haverty, pioneiro da Internet na MIT, disse que eles não estavam realmente pensando em negócios quando desenvolviam os domínios de primeiro nível. "Acho que o .com derivou originalmente de 'companhia', não de 'comercial'." Os .com não foram concebidos como "empresas" no sentido de locais onde clientes vão para comprar coisas", escreveu em um e-mail. "Eram empresas que faziam contrato de trabalho com o governo. A Internet não foi feita para interligar empresas – era uma rede de protótipo militar de comando e controle, construída por entidades educacionais e governamentais e prestadores de serviços." Ainda assim, eles pareciam entender que algum tipo de comércio estava por vir.

"Não me lembro de alguém já ter pensado que estávamos criando uma estrutura organizacional para abranger centenas de milhões de entidades cobrindo todo o planeta em apoio a todas as atividades humanas. E isso certamente não deveria durar 30 anos ou mais, mesmo como experimento. Isso simplesmente acabou acontecendo assim."

- Jack Haverty, pioneiro da Internet

Papel da Verisign no .com

Todos os nomes de domínio são administrados por uma operadora de registros. Como operadora de registros do .com, a Verisign permite que o mundo se conecte on-line com confiabilidade e segurança a qualquer momento, em qualquer lugar.

Com uma média atual de 130 bilhões de consultas ao DNS diariamente — com picos muito acima desse número —, é crucial que os serviços de Internet da Verisign funcionem 24 horas por dia. Para tornar isso possível, criamos do zero um serviço sofisticado para resolver demandas complexas, múltiplas, de alto volume e em tempo real. Isso inclui diversificar hardware, sistemas operacionais, aplicativos middleware e personalizados, fornecedores de energia e operadores de rede, além de inúmeras outras proteções.

A Verisign garante a segurança, estabilidade e resiliência das principais infraestruturas e serviços de Internet, inclusive os domínios .com e .net e dois dos servidores raiz da Internet, bem como realiza as funções de manutenção da zona raiz para o núcleo do DNS da Internet. Nosso compromisso é assegurar que uma infraestrutura com tecnologia Verisign esteja sempre operando no nível mais alto para permitir a inovação necessária para atender às necessidades do futuro, enquanto atende às necessidades de hoje.